Davi Probo 2.jpg

 

 

 

Orquestra Contemporânea Brasileira

Como desdobramento do trabalho desenvolvido na Orquestra de Sopros de Pindoretama, a AAMARTE em parceria com o Sinfonia.br implementou em Pindoretama e outros municípios o seu programa de formação de orquestras, dando origem a outras orquestras jovens e a uma orquestra profissional: a Orquestra Contemporânea Brasileira (OCB). Assim, a OCB é formada por músicos profissionais que também são educadores musicais e fez sua estreia em setembro de 2016 durante o Festival Sinfonia.br, em Fortaleza.

Em 2019, com o patrocínio da empresa EDP e o apoio cultural do Instituto EDP, a Orquestra Contemporânea Brasileira ampliou suas atividades e alcançou projeção nacional, realizando 20 concertos no Ceará e apresentando-se para um público estimado em 12.000 pessoas. A maioria dos concertos foi realizado no Cineteatro São  Luiz, em Fortaleza.

Além de contribuir com a ampliação do mercado da música no estado, a Orquestra Contemporânea Brasileira assumiu um importante compromisso com a formação de novos instrumentistas. Além da Orquestra de Sopros de Pindoretama, no interior do estado, já foram criados um núcleo em Limoeiro do Norte e outro em São Gonçalo do Amarante, este último com o apoio da EDP. A orquestra também tem realizado concertos didáticos voltados a estudantes, com o objetivo de aproximá-los do universo da música erudita e formar novas plateias para a música de concerto.

Foto Davi Probo (1).jpg

Durante a Temporada 2019 a orquestra apresentou tanto repertório clássico quanto popular. Compositores eruditos como Vivaldi, Bach, Mozart, Haydn, Carlos Gomes e Alberto Nepomuceno dialogaram com obras de Chiquinha Gonzaga, Pixiguinha, Augustin Lara, Luiz Gonzaga e Sivuca.  

A orquestra, composta por 36 músicos profissionais, também contou com diversos solistas convidados como Nadilson Gama (Violino), Liu Ying (Violino), Paulo Leniuson (Violino), Paulo Cleber (Viola), Inácio Saldanha (Viola), Franklin Dantas (Tenor), Rodolf Forte (Acordeon), Marcelo Leite (Flauta), Gilvando Silva (Trombone), Davi Valente (Cantor e tecladista) e o grupo cênico-musical Dona Zefinha.

A OCB tem a direção artística do maestro Arley França, que é Doutor em Educação, Mestre e Licenciado em Música, e fundador da Orquestra de Sopros de Pindoretama. O maestro acumula a experiência de criação de mais de 40 bandas e orquestras infantojuvenis no Ceará e a direção de concertos na Alemanha e Noruega. Orientou-se em regência em cursos realizados na Inglaterra, Itália e Estados Unidos e integra o projeto Orquestrando o Brasil, do maestro João Carlos Martins.